sábado, 19 de maio de 2007

Dama da névoa

Minha dama da névoa
Por que não posso ama-la?
Pois sempre que penso toca-la
Você se desfaz em pequenos circulos de fumaça
Por que não posso abraça-la?
Pois seu corpo é fino e feito de névoa
E meus braços não conseguem tocar os seus
E meu amor não pode contagiar o teu coração
Você desaparece toda a manhã junto com o nascer do sol
E eu nunca posso dizer que te amo
Ah minha dama da névoa
Queria eu poder ama-la de verdade
Mas não encontro solução
Não aceito a certa conclusão
De que você está fora de meu alcance
Mas por hora me resta apenas admira-la
Até a hora que névoa também serei
E poderei finalmente tornar-me seu amante

2 comentários:

°Nathália° disse...

Cara!!!

Tá perfeito demais esse poema!

Amei mesmo!

Bendita seja essa Dama da Névoa, e que você consiga tocá-la sem Névoa virar, espero eu...

Beijoes, amo-te!

Talita disse...

Muito lindo Ricky!
Espero que tu demore a encontrar esta dama de névoa,pq não qro que tu me deixe sozinha neste plano imundo...