sábado, 10 de março de 2007

Redundancia e idiotice

Como posso eu escrever sobre amor
Se mal sei o que significa isso
Chega a ser idiota
É como descrever uma reação química
Sem saber os agentes que reagem
E os que possibilitam a mesma
É como fazer uma equação e esquecer da incognita
Como posso querer amar
Se mal sei o que significa isso
É como construir um muro
E usar seu corpo como base
Sendo esmagado pelo peso do proprio sentimento
Sofro tanto com algo que desconheço
Nunca provei realmente do seu sabor
E se já tiver provado,não sei ,ninguem nunca parou pra dizer
Que aquele sabor era o que eu tava procurando
Talvez se eu me amasse mais ,fosse menos patético
Menos redundante, menos deprimente
Menos morto ,menos cinza
Menos estúpido,menos idiota
Não sei nem mesmo por que escrevo isso
Amanhã lerei e me acharei idiota mais uma vez
Não sei por que existo
Pois se eu tivesse escolha não existiria
O mundo não precisa de um ser patético feito eu




Nota:Nathy única pessoa que provavelmente lerá essa desgraça toda ,quando falo de não saber o que é amor falo dos outros ,você não é inclusa nessa deprimente massa humana imunda que me cerca ,te amo demais mas o resto consegue tornar negra a minha mente

2 comentários:

°Intelecto° disse...

Tudo o que eu quero é te ver feliz.

E eu sei o quanto é ruim quando estamos no fundo do poço e de repente todos resolvem jogar terra.

Descobrir certas coisas de repente é o que de pior há no mundo. Principalmente coisas inesperadas.

Eu já passei por momentos assim, e tudo o que eu queria era sumir, esquecer de tudo e de todos, dar pause na minha vida.

Existem certos momentos em que, por mais que haja alguem que se ame muito e que te ame muito, o maior alívio seria desaparecer.

Eu não consigo entender porque tem gente tão sacana e mesquinho. Que brincam com as pessoas e se acham os fodoes. Se elas não sabem, a vida dá voltas, muitas voltas, e o que fazemos pros outros, vai voltar em dobro pra nós.

Só queria aniquilar esses sentimentos ruins que sentes.

TE AMO!

°Intelecto° disse...

Tooooodo bobo, esse meu chuchu!