terça-feira, 10 de junho de 2008

Mulher do cabelo rubro


Mulher do cabelo rubro
Por que me persegue nos meus sonhos?
Por que insiste em consumir a minha alma
Como se fosse apenas um simples cigarro
Ela queima, incandescente
E ao invés de fumaça expele um aroma doce
Que você insiste em tragar
Não resta mais nada de mim
Depois de você, além de algo vazio
Corpo sem vida que vaga por ai
E que nos sonhos você insiste em perseguir
Mulher do cabelo rubro
Já não sei se só existe em meus sonhos
Ou se já não sei mais o que é sonho
Não tento mais fugir
Só me resta deixar consumir
O resto de mim que parece resistir
Mulher do cabelo rubro
Na verdade, não quero que suma
Tome um trago, fume um cigarro
E apenas consuma o pouco que restou por aqui

3 comentários:

Mary disse...

Olha a minha foto aê!!

Que poesia linda Ricky!!!

bjaaao

Nathália disse...

Se eu ainda fosse ruiva, roubava o poema pra mim.
Falo mermo.

:D

Raíssa Hamond disse...

É UM GRANDE POETA! =*
E MARY EH UMA GATAAAAA! hahaha

Voltei a att meu blog ricky e pelo q vi vc tb! NAUM ABANDONEMOS OK!?
=*